Da violência Doméstica a Cocaína ...

By Nah

Hoje foi um dia tenso.
Tentei em vão ajudar uma amiga, minha vizinha, melhor não citar seu nome por questões éticas e tudo mais. Vamos chamá-la de Maria então ...
Acordei do meu cotidiano "sono de beleza" com gritos na casa ao lado. Enquanto Maria gritava para seu marido, viciado em drogas, parar de agredi-la , seu bebÊ de pouco mais de dois anos pedia ajuda chorando, ameaçando o pai, falando que ia chamar a polícia. Acordar em meio a tanta confusão me deixou muito nervosa, porém consegui calcular bem o que faria nos minutos seguintes.
Não podia invadir a casa, pois não sei ao certo a que ponto o "João" chegou. Não sabia se estava armando com algum tipo de faca, canivete e também não poderia me expor assim, pois ele poderia me agredir também.
A história de Maria daria um bom livro. Abandonada pela mãe, alcoolotra e posteriormente pelo pai, também viciado, Maria ficou sozinha em casa cuidando das duas irmãs mais novas, até que o conselho tutelar tomou providências com as meninas, Ela , Maria, ficaria sobre a tutela do atual namorado, e a irmã mais nova de 12 anos que já estava grávida do seu "marido" também ficaria sobre a tutela dele, e a outra irmã sinceramente eu não sei.
Ela é de outra cidade, uma cidade pequena aqui da região, saiu de lá e veio morar aqui na minha cidade, na minha rua ... Não falava com ninguém.
Mas minha familia mantém a politica da boa vizinhança, e quando observamos que a barriga dela estava crescendo, oferecemos ajuda e nos colocamos a disposição. Eles viviam bem, embora morassem nessa casa simples e abandonada aqui do lado ...
O menino nasceu, e os problemas começaram ... A violência só aumentou, eles se separam por um tempo, e quando voltaram, mais brigas.
Daí veio a internação dele por problemas com drogas, e quando saiu da clinica ... mais brigas!
Mas hoje a briga tava feia. Os gritos da criança , ela chorando, o barulho de cabeça batendo na parede.
Fui ao quintal, tentei me comunicar pelo muro, ela griatava lá de dentro, mas não me respondia, só o menino que falava "Mamãe, vizinha!"
Resolvi ligar pra polícia. Absurdo!!!!!!!!!!!!!!!!!
que burrice a minha!
- Querida, porque a vítima não liga ?!
- Eles são muito humildes, ela não tem telefone, nem condições de ligar no momento ! ( Carallho sua Alemã estúpida, como que ela ia te ligar se provavelmente está apanhando?)
- Eu não posso gastar uma viatura , nesse caso a gente só manda a viatura se alguém da familia ligar!
- Eles não são daqui, não tem familia, e tem um bebê na casa ! (O meu ódio crescia, borbulhava!)
- Se você quiser ser testemunha eu mando a viatura, mas você tem que assinar !
- Moça! Eu preciso que vocês ajudem ! Não é a primeira vez! Agora tá sério ...(Manoooo, como eu vou ser testemunha contra um viciado? se ele quase matou o filho dele, pra pipocar minha cara não precisa de nada!)
- Pense se vocÊ quer ser testemunha e me ligue!
(TUTUTUTU)

Engraçado ... pra socorrer uma mulher e um bebê em situação de violência doméstica precisava da assinatura do PAPA, enquanto isso, nas proximidades, viaturas estão rodando, com muita cocaína pra ser distribuída nos morros!
Depois bandidos são os pretos, os pobres que tem que trabalhar pra Alemão não se ferrar!
Cocaína, esse é o salario da polícia!
NADA no mundo justifica a violência. NADA no mundo justifica a omissão! e o pior, NADA no mundo vai me tirar da cabeça que Maria, tinha direito a proteção que lhe foi negada ...
Dessa vez, nada pude fazer. Depois de horas, tudo ficou em silêncio. E ainda está tudo quieto!
Quem será culpado se o pior acontecer?! e quem se responsabiliza por deixar esse sofrimento se perpertuar?!
PS: esqueci de falar, quem provavelmente facilitou que a porra da cocaína chegasse ao meu vizinho?!
aaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaah!!!
 

1 comment so far.

  1. Groo 11 de janeiro de 2009 01:28
    Oi, Natália! Legal seu comentário lá no meu tosco Grooeland...a Globo é terrível, mas que os caras tem o "know how" é inegável. Talvez um dia a Recópia do Bispo chegue lá, mas sinceramente acho até que será pior.
    ====

    Contar com a polícia? Difícil. Certa vez um vizinho estava sendo ameaçado por um cara que o aguardava na frente da casa. Liguei para a polícia já antevendo problemas e a atendente, bem fria, respondeu: "Não podemos fazer nada porque ainda não se consumou o fato".

    Se o seu Zé tomasse um tiro no meio da testa do cara que o ameaçava, aí diriam "Não podemos fazer nada, tente o necrotério".

    Espero que não aconteça nada com a criança e sua vizinha.

    Abs!

    PS: meus leitores vem e vão, somem e reaparecem. Certamente são mais que 2. Conto uns 4 ou 5...rssss

Something to say?