Seria Cômico se não fosse trágico!



Capotando ...

Estavamos em Santa Maria da Serra, interior de São Paulo, perto da minha cidade natal Piracicaba. Fomos passar o último final de semana em uma chácara de um primo meu, juntamente com toda a minha enorme e feliz familia e meu namorado.
Tudo ia bem ...
Comemos bastante na sexta, escutamos música, dançamos, fomos dormir alegres!
Milagre não ter saído briga nenhuma entre eu e minhas irmãs.
No sábado a tarde, minha mamãezinha tomou um porre de cerveja "Cristal", deitou e dormiu.
Então todos decidimos descer para a represa para pescar, nadar e andar de jet ski.
Minha irmã foi pela estradinha de terra pilotando o quadriciclo, ou como apelidamos, o "buguinho"... Eu estava na Paz do Senhor quando ela veio me chamar para me ensinar a dirigir aquela coisa, o desastre demorou meia hora para acontecer:
Sentei no "buguinho", liguei , segui as orientações da minha irmã, consegui subir uma ladeira e o quadriciclo parou porque a gasolina estava vazando. Minha irmã, que é mecânica de autos entrou embaixo do bug e arrumou, montamos nesse e ela saiu dirigindo ... fomos correndo até a outra ponta do condomínio. Ela parou e falou: "Agora você vai tentar!" HA.HA
O nosso "buguinho" demorou uns 10 minutos para pegar, mas eu conseguir sair com ele do lugar. Andei menos de 100 metros antes de perder a direção.
Quando a Jussara gritou " Pára agora ! Agora freia!" Meu cérebro etendeu: " Aceleraaaa!"
Para nossa sorte, o motor, além de tudo tinha sido modificado pra andar mais rápido do que o normal. Daí eu saí correndo, tentando controlar a máquina.
Ufa! passamos por uma caminhonete e não houve colisão. Opa! Opa!!!
Uma pedra no meio do caminho e começamos da capotar!
Estrada de pedra e terra, não enxergava mais nada. Só via minhas pernas no ar e meu corpo ficando leve... Pensei comigo: Espero que eu morra e não a Jussara.
FICOU TUDO PRETO!
Quando abri os olhos a Jussara tava me balançando e me mandando levantar, até ser socorrida pelos rapazes da caminhonete que passou por nós.
Ela foi avisar minha mãe que estava na represa, a Juh toda ensanguentada:
"Mãe! Capotamos o "buguinho", mas fica calma, a Nah tá toda torta no chão, mas já chamaram o resgate!"
Enquanto isso eu lá no chão, com a cabeça latejando!
Comecei a virar atração. Até oração fúnebre já tinha gente fazendo ...
Fui imobilizada, fiquei na maca de madeira e com o colar cervical por mais de quatro horas, totalmente imóvel.
Limpei todos os ralados, no rosto, no braço, na cintura , nos seios... Dei pontos na cabeça, raspei o couro cabeludo para poder costurar a cabeça ... passei por alguns exames e foi diagnosticado dois pequenos traumatismos cranianos, mas segundo o médico, nada grave, mas melhor não abusar. Fiquei em Observação por 12 horas depois disso.
Fui para a Chácara de volta de ambulância.
A Jussara teve alguns ralados e uma queimadura na perna, mas já estava bem!
O primeiro banho, com todo aquele sangue pisado saindo mais um monte de cabelo que foi raspado foi assustador. Meu olho esquerdo ficou fechado de tão inchado ...
Hoje eu tô bem, apenas com um pouco de dor, e só fazem 3 dias que tudo aconteceu!
Só posso agradecer a Força Maior que conduz a vida universal ( Chame como quiser!) por ter me permitido sentir tanta dor no hospital, pois só quem viu acredita: Nossos corpos estavam a menos de 1 metro de um poste de madeira!
e nós estamos em alta velocidade, sem proteção nenhuma, nem capacetes ...
Será que eu sentiria alguma coisa nesse momento!?

é engraçado agradecer por sentir dor, mas eu agradeço ...
Eu agradeço por ter febre, por apenas ter trincado minha cabeça ...
Agrdeço porque minha imrã não se machucou mais que eu...
Agradeço a atenção da equipe médica ...
Agradeço ao carinho da minha familia!
Dos amigos ...



 

1 comment so far.

  1. Jussara 8 de janeiro de 2009 00:54
    Cá entre nós, cada moço lindo. hein ?
    E sim, foi engraçadissimo !
    hahahahahaha

Something to say?